segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Socorrões à beira de um colapso:

Demanda excessiva ameaça atendimento de urgência e emergência em SL

 
Demanda excessiva ameaça atendimento de urgência e emergência em São Luís. Pacientes que vêm do interior do Estado lotam hospitais da capital.


Apesar das UPAs inauguradas recentemente pelo Governo do Estado na capital (Vinhais, Parque Vitória e Cidade Operária) e uma no município de Coroatá, a demanda nos Socorrões não diminuiu e continua grande o número de pessoas que saem do interior em busca de atendimento de urgência e emergência em São Luís, já que não dispõem de hospitais em seus municípios. “Se houver um acidente de médias proporções hoje em São Luís, nós não temos condições de receber os pacientes”, alertou Gutemberg Araújo ao expor a preocupação.

Só o Socorrão II, por dia, utiliza 5.500 seringas, serve mais de duas mil refeições e realiza mais de 60 cirurgias. “Hoje, no Socorrão II, estamos com uma demanda absurda. São 170 macas nos corredores. Estamos, inclusive, utilizando macas do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) por falta de local para acomodar os pacientes”, afirmou o diretor da unidade, Ademar Branco Bandeira. E no Socorrão I, a situação não é muito diferente. Também lotado, o hospital conta com cerca de 70 macas nos corredores. Continue lendo aqui.

Nenhum comentário: