quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Brasil Afora: Viana-MA muda imagem com ex-vascaína inspirada em R10

Na primeira participação na Copa do Brasil, equipe feminina maranhense chega às semis, enquanto homens tentam se redimir do caso Chapadinha 

Por Mariana Kneipp (Globo Esporte) Rio de Janeiro

Há dois anos, o Viana ficou conhecido no cenário nacional por ter feito nove gols em nove minutos em jogo polêmico contra o Chapadinha, o que garantiu a volta à primeira divisão do Campeonato Maranhense. Polêmicas à parte, desde então, a equipe oscila, e, neste ano, voltou a disputar o torneio de acesso. Mas essa é a história do time masculino. A trajetória da equipe feminina é bem diferente, com direito a ex-jogadora do Vasco virando a casaca e mudando o ritmo da equipe com comemoração de "Parado na esquina", do rubro-negro Ronaldinho Gaúcho.

Enquanto os homens respondiam a questões relacionadas à vitória por 11 a 0 de 2009, um grupo de mulheres, que eram jogadoras amadoras, foi formado para defender o azul e branco no campeonato estadual. Os primeiros anos foram de aprendizado, mas, em 2011, chegou a hora de elas brilharem. Campeãs maranhenses e semifinalistas, invictas, na Copa do Brasil, as meninas, que receberam reforço de atletas profissionais, como Corrêa, a fã de R10, estão levando o nome do Viana de volta aos holofotes. Só que, dessa vez, sem polêmica.
 Equipe do Viana supera barreiras e chega à semifinal  (Foto: Divulgação/Blog Amapaesporte)

- Espero que aquilo tudo que falaram do masculino não se repita, mesmo não tendo sido responsabilidade nossa. Não tenho dúvida de que nossa imagem vai ser outra agora com o feminino. É muito importante para o clube voltar a ser citado com uma notícia positiva. O objetivo é chegar à final e encher de orgulho a cidade que já torce muito por elas – disse o presidente do Viana, José Carlos Costa, que também citou o trabalho da diretoria, com Silvana e Vitorino, para o sucesso da campanha na Copa do Brasil.

Em cinco jogos na competição nacional, a equipe teve quatro vitórias e um empate, somando 13 gols e sofrendo cinco. Passou por Oratório (AP), Amazônia (AC) e Tuna Luso (PA). Campanha que deixou o técnico Marlon Francisco orgulhoso. Há dois anos no comando do time, o treinador contou que é emocionante ver como as jogadoras estão sendo recebidas pelos habitantes de Viana, cidade com cerca de 50 mil habitantes, que fica a 225km da capital do estado, São Luís.

- Moramos em uma cidade antiga, de um povo de princípios, que não entendia bem essa história de futebol feminino. Tinha até um certo preconceito. Não acreditava que passaríamos nem da primeira rodada. Hoje temos torcedores que aplaudem de pé na rua, fazem questão de parabenizá-las. Do mais novo ao mais velho. Elas quebraram barreiras, com certeza. São a bola da vez - afirmou Marlon.

A superação dos limites também chegou ao profissionalismo das atletas, cujas idades variam entre 15 e 26 anos. Elas se dedicam somente ao futebol, porém ganham apenas uma ajuda de custo, entre R$ 300 e R$ 400, segundo o técnico. Mas se o salário ainda não é equivalente ao dos homens, o estádio é o mesmo. O Viana pode treinar diariamente no Djalma Campos, com capacidade para cerca de 4 mil pessoas, ou no campo da prefeitura. Durante competições, as atividades são em dois períodos. Leia matéria completa aqui.

8 comentários:

AC disse...

Parabens as Meninas que estão representando nossa querida Viana com honra e dignidade, diferentemente dos oligarcas que comandam o casaraão da Praça Ozimo de Carvalho. isso é uma prova que apesar de mal remunerados, mal estruturados, mas com muita força de vontade pode se chegar ao ponto mais alto do podio. e agora cade os incentivos para o esporte e lazer para amenizar a ociosidade de nossos jovens e descobrir talentos. cade as quadras poliesportivas... e parquinhos para criança. o nosso cais que era pra ser uma area de lazer até para proaticas esportivas na verdade é um condominio com disputa de som automotivo.

Luiz Antonio Morais disse...

Garto pela participação. Sds.

Anônimo disse...

A inveja é a arma dos incompetentes, o que tem a ver o jogo das meninas do Viana com a disputa de som automotivo?

Nada a ver.

Plínio

Anônimo disse...

Caro Plinio, não tenho inveja de ninguem pois o meu maior bem não tem preço que são minhas ideias e minha inteligencia e nem tao pouco faço amizades por interesses de bens materiais. citei o cais pq era pra ser uma area de lazer e para praticas de esportes. um local onde pudesse deixar as crianaças correrem a vontade,onde pudessemos conversar. ao inves disso temos que gritar ao pé do ouvido para poder falar com alguem pois existe uma barulheira que ninguem entende nada vindo de varios sons automotivos ligados ao mesmo tempo só para saber quem é o mais potente. um total desrespeito ao meio ambiente. só voltanto ao inicio citei o cais pq deveria ter mais areas adequadas para a pratica de esportes.

Luiz Antonio Morais disse...

Grato pela participação. Sds.

Anônimo disse...

Ah bacana, tu ta falando dos sons que ficam ligados direto no cais né?

Achei que tava falando do campeonato de som que teve lá no cais, foi muito legal, coisas novas que muita gente não sabia que existia, veio até um paredão de são luis, extress zero, foi muito divertido.

valeu, achei que tava falando desse campeonato.

At. Plínio

Anônimo disse...

POR SINAL,PLÍNIO,UMA MERDA.

Anônimo disse...

Eu achei muito legal, fod...se quem não gostou. hahahahaha

bobão

By Plínio