quinta-feira, 14 de maio de 2015

Polícia descobre garimpo ilegal na cidade de Godofredo Viana, no MA



Garimpo pertence ao prefeito da cidade, de acordo com a Polícia Civil. Foram encontradas crianças trabalhando no local.

Do G1 MA
Crianças foram encontradas em garimpo que seria de propriedade do prefeito (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
A Polícia Civil deflagrou nessa quarta-feira (13) a operação 'Febre do Ouro', na cidade de Godofredo Viana, que fica a 586 km de São Luís, e fechou um garimpo clandestino. De acordo com a Polícia Civil, o local é de propriedade do prefeito da cidade, Marcelo Jorge. Além da extração ilegal, a polícia constatou a prática de tráfico de drogas, trabalho infantil e porte ilegal de armas.

Segundo o delegado Henrique Mesquita, titular da delegacia da cidade de Zé Doca, que apoiou a operação, a Polícia Civil chegou até o local após denúncias. Vinte pessoas foram conduzidas à delegacia e sete foram autuadas por crime ambiental, tráfico e porte de armas. Entre o material apreendido estão três máquinas retroescavadeiras, quatro veículos, duas armas de fogo e cerca de 20 pedras de crack.

"Foram apreeendidos diversos equipamentos e máquinas utilizados para a exploração ilegal de ouro. Também foram apreendidos veículos com suspeita de clonagem, armas de fogo e drogas. Sete pessoas foram autuadas com base na lei 9605/98 de crimes ambientais e também por porte ilegal e tráfico", afirmou o delegado em entrevista ao G1.

O delegado afirma, ainda, que o prefeito Marcelo Jorge não estava no local no momento da operação, mas que deverá prestar esclarecimentos. "O que acontece é que ele tinha esse garimpo e não tinha controle das atividades que eram realizadas no local. Ou seja, além do crime ambiental, ele deverá ser chamado para explicar a questão do trabalho infantil e das armas", ressaltou Henrique Mesquita.
Material usado por trabalhadores do garimpo em Godofredo Viana, MA (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
O G1 entrou em contato, por telefone, com a Prefeitura de Godofredo Viana e foi informado pela secretária de Administração, Gihan Torres, que o garimpo não é de propriedade do prefeito Marcelo Jorge e a denúncia foi forjada. Ainda de acordo com a secretária, a prefeitura não irá emitir nenhum posicionamento sobre o assunto.

2 comentários:

Syene Alves disse...

A escravidão em larga escala

Jornalismo, Marketing e Comunicação disse...

Prefeito de Godofredo Viana rebate denúncias

Em defesa da verdade e em respeito à opinião pública, o Prefeito do município maranhense de Godofredo Viana, Marcelo Jorge Torres, rebateu as denuncias de que seria proprietário da Fazenda Frexal, situada no povoado Aurizona, naquele município. O prefeito enfatizou ainda que milhares de famílias do município sobrevivem há mais de 100 anos da atividade de garimpo. Na região, a exploração de ouro vem sendo feita pela empresa canadense Aurizona.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

“Para determinar em definitivo a verdade dos fatos noticiados pela imprensa local e nacional, esclareço a respeito da equivocada vinculação pela Polícia, relacionando o meu nome na operação intitulada "Febre do Ouro", realizada nessa semana no município de Godofredo Viana, e informo que:

A Fazenda escolhida para a referida operação policial pertence ao meu genitor, o senhor Ronaldo Torres, não sendo de minha propriedade, informação pronunciada de forma equivocada pelo delegado regional de Zé Doca, Henrique Mesquita, em atitude constrangedora que, quando antes da ação policial o padrão da conduta de proteção de um cidadão exige uma antecipada investigação.

Informamos ainda que há mais de 100 anos, há atividade de garimpo na região feita por moradores. Atualmente, a extração de ouro no município vem sendo feita de forma empresarial pelo grupo Aurizona.

A Prefeitura de Godofredo Viana vem trabalhando para melhorar a qualidade de vida da população e sempre esteve mobilizada com o poder público da região para enfrentar os problemas sociais e ambientais. Estamos a disposição da imprensa para outras informações”.
Marcelo Jorge Torres
Prefeito de Godofredo Viana